Polícia brasileira prende falso missionário que “ungia” pénis para convencer mulheres a fazer sexo

Um falso missionário, de 74 anos, foi preso na última semana de março, sob acusação de estupro de fiéis. Ao menos cinco mulheres que sofreram abusos foram identificadas pela Polícia Civil durante a investigação.

falso missionário

falso missionário

Segundo o portal Gospelmais, o caso veio à tona, quando uma mulher de 29 anos foi à delegacia na cidade de Miranda (MS) e afirmou que tinha sido violentada por um homem que se apresentou como pastor e missionário e ficou hospedado em sua casa.

Ele teria se apresentado à vítima como um missionário que tinha sido enviado para actuar na região de Miranda e Bodoquena, e que tinha recebido revelações através de sonhos que seu ministério deveria ser voltado a ajudar mulheres.

A vítima disse ter ouvido do falso missionário que seu ex-marido havia usado uma pomada maligna no pénis e que essa substância havia alcançado seu útero, e que a libertação desse mal só seria possível através de uma “campanha” de oração de cinco dias. Ao longo desse período, ela deveria manter relações sexuais com ele.

A mulher acreditou na estória contada pelo falso missionário, e aceitou praticar sexo com ele. A vítima contou à polícia que o homem usava um óleo que ele passava no próprio pénis, alegando que ele precisava chegar ao útero da mulher, além de espalhar o material na barriga, seios e partes íntimas da vítima.

O homem afirmou que a vítima deveria manter a “campanha”, pois em caso contrário, tudo passaria a dar errado na vida dela. Na quarta-feira, 27 de março, ele levou a mulher a uma área isolada, localizada em uma mata a 10 quilómetros de sua casa, com o propósito de manter relações sexuais com ela.

Ao chegar ao local, a mulher desconfiou que estava sendo vítima de um abuso e se recusou, o que causou irritação no falso missionário, que ameaçou deixa-la sozinha no local para que ela não conseguisse voltar para casa.

Na volta, a mulher foi à delegacia, relatou o que aconteceu e afirmou que sua filha de 11 anos, também teria sido abusada pelo acusado. Uma tia da vítima contou que o falso missionário também teria tentado abusar de uma das suas filhas, e por isso, ela o teria expulsado de sua casa.

A polícia ouviu outras testemunhas e descobriu outros casos, incluindo o de uma adolescente de 16 anos também teria sido vítima do homem, que teria afirmado que se ela não mantivesse relações sexuais com ele, para que fosse purificada de doenças, o anjo da guarda dela a abandonaria e seu namorado também iria abandoná-la.

Uma idosa de 62 anos também acusou o homem de tentar ludibriá-la com a ideia de que as relações sexuais seriam necessárias para que ela se livrasse de um câncer e uma infecção no pulmão.

Outra mulher de 27 anos também foi vítima do falso missionário, que teria usado o mesmo argumento que usou com a mulher que o denunciou: o marido dela teria colocado uma pomada em sua vagina e que para isso precisava purificá-la. Uma adolescente de 14 aos também teria sido vítima do falso missionário.

O delegado Pedro Henrique de Miranda pediu pela prisão preventiva do homem, que acabou detido no dia 28 de março, mas em depoimento ele negou os crimes. O ‘óleo ungido’ usado pelo falso missionário foi apreendido pela polícia, e agora ele será indiciado por crimes de violação mediante fraude e por estupro de vulnerável, no caso da menina de 11 anos.

Comentários

comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios