Faltam estúdios e produtores de música gospel em Malange

O facto foi revelado pelo rapper gospel Aristides, que está em Luanda em gozo de férias, durante a breve entrevista que concedeu ao portal Arautos da Fé, no Domingo 12 de Julho. Na conversa,o músico manifestou a sua inquietação pela fraca qualidade da música feita na província da Palanca Negra.

DSC_0073 copy

Arautos da Fé: O rapper já tem muito espaço na comunidade cristã?

Aristides: Muito espaço não, mas de um tempo para cá vem abrindo espaço. Nós como fazedores de música rapper gospel, estamos a lutar para que esteja cem por cento aberto, quer seja a nível nacional, como internacional.

AF: Como é que está o movimento gospel em Malange?

Aristides: Vai andando bem graças a Deus. Temos vários músicos a sairem, vários a virem buscar experiências cá em Luanda e noutras províncias. E assim como este intercâmbio entre províncias a música gospel tanto em Malange, como em Angola, vai desenvolvendo.

AF: O número de músicos gospel em Malange já é satisfatório?   

Aristides: Ainda Não. Mas estamos a batalhar, cada dia que nasce tem um novo levita para  honra e gloria do Senhor.

AF: Quanto a qualidade?

Aristides: Vou ser muito crítico, porque eu exijo qualidade. Precisa-se trabalhar muito. Isto deve-se aos espaços onde são gravadas as músicas, experiência dos produtores, experiência dos músicos em si. Tanto é que alguns músicos vem buscar experiência aqui (Luanda).

DSC_0102 copyAF: Faltam produtores ou estúdios?

Aristides: Faltam produtores e estúdios. O único produtor que conheço, que produz música gospel é o Joaquim Burso, o jovem que trabalha comigo. Não tem mais ninguém. Os outros são produtores de música secular.

Comentários

comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios