Dom Filipe Curpentino Teixeira reage às acusações de que é falso Bispo e afirma que não tem “rabo de palha”

A polémica sobre o alegado caso de bispo falso continua a dar a que falar com reações múltiplas no espaço da lusofonia. Dom Filipe Curpentino Teixeira classificou hoje, na cidade da Praia, de infundadas as acusações da liderança da igreja católica de Cabo Verde e da Conferência dos Bispos de Angola e São Tome –CEAST, que o apontam como um falso Bispo. Dom Filipe Curpentino Teixeira

Em causa estão as denuncias da cúpula das Igrejas Católicas de Cabo Verde, Angola e São Tomé e Príncipe, alertando aos cristãos fieis ser falso o auto-intitulado Bispo da Igreja Católica das Américas que vem circulando no espaço lusófono.

Em conferência de imprensa, em frente à Igreja Matriz, na Cidade da Praia, o causado Dom Filipe Curpentino Teixeira, de origem cabo-verdiana e com nacionalidade angolana, explicou que ele é cristão e Bispo da Igreja Católica das Américas, em Brockton, e afirmou que não tem “rabo de palha”.

“Na verdade, a calúnia e as mentiras foram muito fortes. Eu já sou padre desde 1996 e Bispo desde 2011 e nunca tive essas acusações como foram cá em Cabo Verde, partindo do senhor cardeal de Cabo Verde e do CEAST, especialmente do arcebispo Dom Filomeno”, disse , segundo a Inforpess, reiterando que ele nunca passou por Bispo da Igreja Católica Romana.

Dom Filipe Curpentino Teixeira salientou que tem “boas relações com os católicos romanos”, adiantando que, inclusivamente, o Arcebispo de Angola, Dom Filomeno, já o visitou nas Américas, tendo os dois partilhado tecto e mesa, isso depois dos dois terem pertencido à mesma paróquia de São Paulo, em Luanda.

“São pessoas que me conhecem e o cardeal e os padres de cá (Cabo Verde) que trabalham em América conhecem muito bem e sabem as minhas actividades religiosas e sociais”, disse, afirmando que essas acusações só podem ser explicadas “por ciúmes, raiva e ignorância”.

“Eu não esperava que numa quaresma, numa semana santa havia toda essa ingratidão”, sublinhou, negando também que tenha sido expulso de qualquer país ou da igreja católica romana, conforme foi veiculada em alguns órgãos da comunicação social.

Recusa de audiência e divergências com igreja católica romana
Segundo indicou, desde que soube das acusações, tem tentado uma audiência com o Bispo da Diocese de Santiago, Dom Arlindo Furtado, mas que este tem recusado sempre com o argumento de falta de tempo.

“Ele recusou-se e até agora eu estou pronto para sentar com ele, como irmão, na fé ou então como qualquer pessoa, para falarmos, porque eu acho que um pastor deve zelar pelas ovelhas e especialmente se ele acha que eu sou uma ovelha de Carnaval, ele precisa me ajudar a ser uma ovelha de Deus”, disse.

A igreja católica das Américas, conforme adiantou, existe há já vários anos, com muitos padres, bispos e irmãs que abandonaram a igreja católica romana por divergência de doutrina social e algumas ideias teológicas.

De entre as diferenças com a igreja católica romana está a questão do celibato, podendo os padres serem casados antes da ordenação e também a nível das hierarquias, já que ao contrário da igreja católica Romana, não tem Papa, Arcebispo, nem Monsenhor e nem Cardeal, existindo apenas a casa da conferência dos bispos.

Fonte: ASemana

Comentários

comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios