“Discípulos” apresentam videoclipe “Ebenezer”

O grupo de hip hope gospel “Discípulos”, apresentou no domingo, 15 de Abril, o videoclipe da música “Ebenezer”, no templo da Assembleia de Deus Pentecostal Mirenar, no bairro Cassequel, em Luanda. 

Rui Last Man (apresentador do evento), Tonny G, Anastácio e Mico Bazooka. (Foto: Jaime Chiquito)

Rui Last Man (apresentador do evento), Tonny G, Anastácio e Mico Bazooka. (Foto: Jaime Chiquito)

Produzido por Allen Mamona, é o segundo video do grupo formado por Tonny G, Mico Bazooka e Anastácio, e que já conta com 18 anos de existência. No video destacam-se as participações da cantora Roxanne e do Pastor Hedir Panzo.

Ao portal Arautos da Fé, Mico Bazooka, manifestou a sua satisfação pela realização do evento e disse que o grupo tem se apresentado em vários lugares para divulgar o Evangelho. “Adoptamos este sistema, chamamos gira bairro, principalmente nos sítios onde somos recebidos”.

Sobre os 18 anos de existência do grupo, Mico referiu que o balanço é positivo. “Nós pecamos simplesmente porque até agora não tiramos um disco. Muita gente cobra isso de nós, porque já estamos com uma certa idade.” 

Cutana Carvalho prestigiou o evento. (Foto: Jaime Chiquito)

Cutana Carvalho prestigiou o evento. (Foto: Jaime Chiquito)

Todos os membros do grupo, revelou, “já passaram a barreira dos 30, já estão atrás dos 40”. “Para nós, é positivo porque temos motivado, incentivado e feito conhecer o gospel rap”. Destacou

Os “Discípulos”, segundo avançou o artista, poderão colocar no mercado o seu primeiro CD, no mês de Agosto. “O nosso projecto praticamente está pronto. Está a 99,5%, falta simplesmente terminar a capa e entregar a fabrica”.
Convidados falam do trabalho do grupo

Cutana Carvalho, uma da artistas que prestigiou o evento, disse ao portal Arautos da Fé, que “gostou muito” do que viu.

“É a segunda apresentação de videoclipe em que participo. A primeira foi no lançamento do meu videoclipe que foi o ano passado, essa segunda apresentação eu vi de um modo diferente, uma forma diferente de se fazer as coisas, mas foi muito bom o que vimos.”

Dino Grill, do grupo Overdose, no movimento hip hope gospel desde o ano 2000, disse ao portal Arautos da Fé, que tem acompanhado os “Discípulos” desde os primeiros passos e produzido muitas das suas músicas, pela Drop Music.

Dino destacou “uma evolução” na qualidade do trabalho do grupo. “Eles sempre investiram na qualidade das suas músicas. Muitos músicos, ainda não vêem assim, veem fazendo rap há muitos anos, mas não investem na qualidade musical.” 

Dino Grill e Man Renas. (Foto: Jaime Chiquito)

Dino Grill e Man Renas. (Foto: Jaime Chiquito)

O músico, afirmou que em Angola já se faz música com qualidade para ser exportada. No álbum dos “Discípulos”, exemplificou, “há uma música com o Dj Alpist, que vai levar o álbum para o Brasil e mundo afora.”

No que toca o movimento hip hop gospel, sublinhou o seu crescimento, mas lamentou que ainda esteja em “circuito fechado, dentro das igrejas”.

“A visão do movimento é sair as ruas, fazer shows fora e dar a conhecer acima de tudo, que existe um salvador.”

Man Renas, outro membro do Overdose, apontou o fraco apoio da mídia ao movimento e defendeu o intercâmbio entre os músicos seculares e gospel.

“Porquê não fazermos parte de shows seculares? Não fazemos parte, não porque não queremos. Há uma barreira entre os artistas seculares e os artistas gospel, mas em contrapartida somos todos filhos de Deus, não há porque existir esta separação.” Observou. 

Grupo de coreografia Emanuel. (Jaime Chiquito)

Grupo de coreografia Emanuel. (Jaime Chiquito)

Segundo Man Renas, os músicos gospel podem estar num show secular e fazerem a sua parte e os seculares num show gospel. “Mas claro, sempre medindo e sabendo as palavras que devem ser usadas, porque fazemos um tipo de música adorando a Deus e a Palavra diz que cada um tem o seu tempo e cada um passa pela sua fase e pelo seu tempo de restauração.” Alertou.

Eles hoje são músicos seculares e amanhã poderão fazer música gospel. Lembrou.
“Temos o exemplo do irmão Mr. K que hoje é um tremendo adorador e está a fazer boas músicas.”

O rapper solicitou “a mídia, os investidores, que fazem grandes eventos” a olharem “também” para o rap gospel.

 

Comentários

comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios