VALORES CRISTÃOS E HUMANOS NA DINÂMICA DA SOCIEDADE DE JOVENS

São sociedades, as organizações de jovens, de médios, de senhoras e de homens que comungam, livremente, os mesmos ideais e princípios espirituais, morais, sociais e académicos. (ESTATUTO,IECA,Art. 44)

unidade

O templo do Senhor não é lugar para inimizades, iras, …

Essas organizações, em função das necessidades de vária ordem que os seus integrantes partilham, elaboram os seus programas e projectos. Todavia, nas palavras do Rev. José Belo Chipenda, «os referidos programas de forma nenhuma devem substituir o Culto Dominical, considerado manifestação pública da fé de todos os membros.»; como não devia deixar de ser, a Sociedade de Jovens não dista desta realidade.

É nesta senda que a juventude, sendo a força motriz da igreja em particular e da sociedade em geral, deve empenhar-se incansavelmente para, cada vez mais, aprender a ser, a estar e a conviver com os outros. Assim, haverá cada vez mais jovens que percebem que a igreja não é um palco de espetáculos nem espaço para vanglória e exibicionismo. Mais jovens compreenderão que o templo do Senhor não é lugar para inimizades, iras, pelejas, invejas…(Gal. 5:20-21); o apóstolo Paulo, por sua vez, aconselha-nos a fazer tudo decentemente e com ordem (I co. 14:40).

Pois, urge enfatizar que actividades como: concursos bíblicos, olimpíadas do saber, prémios de diferentes expressões ou manifestações artísticas (música, teatro, pintura, literatura…), entre outras, devem ser encaradas como estímulos e atractivos que tornam o ambiente cristão agradável e interessante. Do mesmo jeito que o pescador precisa de iscas para atrair peixes para o seu anzol, o pescador de homens precisa de iscas para atrair almas para a seara do Senhor, mas tudo para a honra e glória de Jesus Cristo. O mundo actual tem se batido com a necessidade de se promover valores sociais e humanos como: justiça, cooperação, consenso, respeito, humanismo, cidadania, liberdade/responsabilidade, moral/ética, só para citar alguns. Entetanto, se procurarmos a igreja enquanto Edifício e Santuário de Deus (I Cor. 3:9), Coluna e Baluarte da verdade (I Tim. 3:15), se nos empenharmos para alcançarmos uma maturidade espiritual através da fé, poderemos ser a resposta para este grito de socorro da parte da sociedade no sentido lato da palavra, uma vez que os frutos do Espírito Santo são valores cristãos como: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e temperança (Gal. 5:22).
A maturidade espiritual, como a fé, não se adquire de maneira espontânea, constrói-se de forma sistemática. Para isso, os jovens contarão sempre com a orientação e o acompanhamento dos responsáveis e dos conselheiros a todos os níveis da estrutura da igreja: os programas da juventude, ao nível geral, devem ser orientados e acompanhados pelo Secretário Geral e o seu elenco; os planos dos jovens, ao nível do Sínodo Provincial, contam com o suporte do Secretário Provincial e dos demais integrantes da estrutura a este nível.

Para o Pastorado e a Congregação, como não devia deixar de ser, conta-se com o Pastor da comunidade, com os Diáconos, conselheiros e outros responsáveis. Desta feita, cabe-nos felicitar, encorajar e orar para todos os líderes, clérigos e leigos, que se têm empenhado afincadamente com toda a força, inteligência e ânimo, não só na planificação, mas também na realização das actividades, sobretudo, dos jovens, adolescentes e crianças. Assim, contribuímos para garantir a igreja e a sociedade do amanhã e causamos impacto na vida de muitos, como é o caso deste emocionante testemunho: « Nos meus variadíssimos contactos com o Pastor Chipenda e durante as longas conversas que com ele tive o privilégio de manter, notei nele um CONSTRUTOR DE PONTES e um Sacerdote que sempre se adiantou na leitura dos sinais dos tempos.» (SAMACUMBI, 2012, 20).
Jovem cristão, espero que estas palavras o tenham encorajado a preservar, cada vez mais, os valores cristãos e humanos e a servir de veículo para infuênciar os seus coetâneos em aprenderem a ser o sal da terra, em aprenderem a estar no Templo do Senhor com temor e a conviver com os outros com espírito de fraternidade. Amén .

 

Sabino Ferreira do Nascimento

Docente Universitário

Membro da IECA/Pastorado do BUNGO

Comentários

comentários


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios