Baboseiras pastorais e a sua mediatização

Há dias, liguei o rádio para ouvir uma mensagem evangélica, consciente de que, depois das 21 horas, várias rádios têm na sua grelha, programação religiosa.

baboseiras pastorais e a sua mediatização

A primeira estação radiofónica que achei, chamou a minha atenção e não mais avancei.

Estava a passar um resumo do que tinha sido o “culto profético” da igreja detentora do espaço. Na hora dos testemunhos, o pastor deu a palavra à uma mulher, que segundo fez saber, há quatro tentava, sem sucesso, engravidar.

O insucesso, contou a mulher, devia-se as acções ocultas da sua sogra, que só foram “desarmadas” graças a um tratamento profético conduzido pelo pastor.

Noutro testemunho, um homem afirmou ter sido curado da impotência sexual, pelo mesmo tratamento.

Seguiu-se um discurso propagandístico do pastor a anunciar um tratamento com uma água capaz de curar várias enfermidades e convidado os ouvintes a aderir tal serviço.

Encontrar as causas da proliferação de seitas em Angola, pode não ser um exercício fácil, mas certo é que, a pobreza que faz morada no país e o difícil acesso ao serviços públicos, como de saúde, tem contribuído para o aparecimento de milagreiros que se aproveitam a vulnerabilidade das pessoas.

Não alimento dúvidas de que a liberalização de espaços nos órgãos de comunicação social, usados para a propaganda (enganosa) religiosa, tem contribuído para a proliferação do fenómeno religioso.

Nem as recentes medidas do governo angolano de encerrar algumas denominações, parecem ter intimidado certos mercadores da fé, que insistem em vender seus milagres, suas águas, agora, pelos medias sociais.

Estranho, muito estranho, é que os pastores milagreiros anunciam curas somente de fiéis que frequentam os seus templos, quando, pelos títulos que ostentam, deveriam levar algum alívio aos enfermos nos hospitais, muitos, bem perto de si.

Muitos destes religiosos que tiveram a graça de ter um espaço nos media, estão a desperdiçar soberana oportunidade de denunciar as injustiças da nossa sociedade, promover o amor e a justiça, ajudando assim, na construção de um país melhor para todos. Jesus pregou o Evangelho, curou enfermidades sem cobrar das pessoas nada além do arrependimento.

Não tarda, chegará o dia, que até os bons pastores ficarão privados do uso dos canais de comunicação, em consequência do mau uso que os mercadores da fé vêm fazendo deles.

Comentários

comentários

Gil Lucamba

Jornalista, Fundador e administrador do portal de notícias Arautos da Fé.

Mais Artigos - Website

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios