A música ungida rasga o céu e faz descer a glória de Deus

O crescimento do mercado angolano da música gospel, é um tema que tem suscitado diversas reacções de pessoas que indirecta ou directamente o acompanham. Essas reacções, gravitam em torno da qualidade técnica, conteúdos das musicas e até mesmo estratégias de marketing para a sua divulgação.
Pastor Hipólito Ndeka, quando dissertava o tema "O espírito e a melodia". (Foto: Fb Angola)

Pastor Hipólito Ndeka, no centro, quando dissertava o tema “O espírito e a melodia”. (Foto: Fb Angola)

Encontros de reflexão, têm sido realizados por diversas organizações, no intuito de potenciar os artistas com conhecimentos, que lhes permitam fazer um trabalho de qualidade, com valor comercial, que respeite as leis, mas que não fuja do propósito que tem a música gospel.
 
A CMG é uma destas organizações que se preocupa com o estado actual do mercado. No passado mês de Julho, realizou uma conferência subordinada ao tema “Espírito e a melodia”. Dentre os prelectores que convidou, esteve o Pastor Hipólito Ndeka, que ofereceu subsídios sobre “O espírito e a melodia” da música gospel, que de forma resumida, trago neste artigo.
 
O pensamento do Pastor Hipólito
“Lúcifer era encarregado, segundo a Palavra de Deus, do louvor e adoração… A origem da música ungida, está na eternidade.
 
Nós, podemos classificar a música ungida em três tempos: da criação até Moisés, é o tempo da revelação ou o tempo da consciência; o segundo, é o tempo da lei, que começa da recepção da lei por Moisés até o tempo da graça que começa com a cruz do nosso Senhor Jesus Cristo; e o terceiro, da cruz até ao arrebatamento que é o tempo da graça. O tempo em que nós vivemos.
 
No primeiro tempo, a Bíblia revela Génesis, … o primeiro homem que tocou num instrumento musical. Vamos lembrar também que, quando o povo de Israel saiu do Egipto, Miriã juntou mulheres com tamboris como instrumento musical, começaram a louvar ao Senhor. Aquela música, era uma música ungida, uma música que era para glória do nosso Deus.
 
Mas no tempo da lei, notamos que haviam sacerdotes, ungidos só para realizar o serviço musical, levitas que só tocavam instrumentos para louvar ao Senhor. Um dos exemplos é Asafe… E não só, no tempo da lei, temos notados profetas, até antes profetizar, chamavam um músico, como foi o caso do profeta Eliseu.
 
Não podemos negligenciar esse ministério, é importante. A música ungida, rasga o céu e faz descer a glória de Deus.
 
… Quando o rei Saul, o primeiro rei de Israel, teve um tormento, um espírito maligno, chamaram um músico que tocou. Foi David que era ungido e quando tocava, a Bíblia diz: o espírito maligno que atormentava Saul, se afastava dele.
 
… A Bíblia mostra quando Josafá e seu exército foram lutar, não lutaram com armas. Só tocavam, só louvavam ao Senhor. A Bíblia diz que, Deus mandou anjos e conseguiu trazer vitória para o povo de Israel. Isso ainda no tempo da lei. 
 
No tempo da graça, notamos também, que os  discípulos cantavam para glória do nosso Deus. 
 
 
Cinco propósitos da música ungida:
 
O primeiro propósito é evangelístico. Sabemos que a missão da igreja aqui na terra é tríplice: adorar, preparar a noiva e evangelizar. É ganhar almas, é pregar o Evangelho.
 
O segundo propósito, é pedagógico. A música ungida, é para ensinar, é para instruir, é para corrigir. É uma responsabilidade para os adoradores. É preciso ter inspiração genuína quando se está a escrever as letras. 
 
O terceiro propósito, é terapêutico. A Bíblia diz em 1 Samuel 16:23, quando o rei tinha problemas, era atormentado no seu espírito, David tocava harpa. Aquela música apaziguava o espírito de Saul. Só com música, não era com pregação. A música ungida pode trazer paz num coração abatido. Há muitas músicas ungidas, mesmo na nossa praça angolana, que ajudaram muitas pessoas abatidas. 
 
O quarto propósito, é devocional. A música ajuda para nos aproximarmos do nosso Deus. Não é em vão, que Elizeu chamou um músico para tocar. Acho que vocês notam a diferença entre a música religiosa e a ungida. Todo mundo pode tocar música religiosa, mas a música ungida, só uma pessoa que tem comunhão com o Espírito Santo. E essa música faz diferença. É música que leva a pessoa a presença de Deus. 
 
Se a música for inspirada pelo espírito vai ter também efeito espiritual. 
 
A música tem propósito sobrenatural. 2 Crônicas 5:13…. A Bíblia diz, a nuvem da glória de Deus encheu todo templo. O adorador deve ser ligados ao espírito de Deus para que a música dele possa ter também efeito sobrenatural. 
 
 
Como evoluir para a música ungida?
 
A primeira condição, é não cantar na terra estrangeira. Salmo 137:4. A Bíblia diz que os judeus estavam em Babilônia e disseram-lhes para cantar. Eles disseram não podemos cantar quando estamos aqui na terra estrangeira.
 
O tabernáculo não se construiu no Egipto. Não houve estabelecimento do sacerdócio no Egipto. O grande problema é que muitos hoje cantam, mas estão ainda na terra estrangeira. Não há diferença entre eles e os mundanos…
 
Não precisa falar que eu sou músico gospel, deixa verem através dos teus frutos. Se ainda estás na terra estrangeira, sai da terra estrangeira e vai louvar. Não conhecemos a Miriã no Egipto. Conhecemos a Miriã com o seu grupo de adoração quando saíram do Egipto. 
 
Hoje temos muita dificuldade, permitam-me não quero mencionar os nomes dos nossos músicos que cantam no outro lado, respeitamos o nome da cultura, mas tem de haver diferença entre os que estão na luz e os que estão nas trevas. 
 
O segunda coisa, é o treinamento. A música é uma arte. A música tem também as suas regras. Tem notas. Isso não se aprende com o Espírito Santo. Aprende-se na escola. Estamos num tempo de exigência da qualidade em tudo. Só há qualidade quando há treinamento, formação. Um músico sem treinamento, é como um pregador que não domina a hermenêutica e a homilética. Pode ter a revelação mas não vai saber como transmitir o conhecimento. 
 
Aprenda, procura tirar o teu trabalho da mediocridade para a excelência. 
 
A terceira condição, é ser um vaso quebrado. Ser um vaso quebrado para o Senhor.
Tira o eu de ti. A Bíblia fala da mulher pecadora, tinha perfume dentro do vazo, mas ninguém sentia aquele cheiro. Mas quando o vazo foi quebrado, o cheiro contaminou todos. Mesmo os discípulos. 
 
Quebra o eu. Eu sou assim… Um só álbum você já é o mestre dos mestres. Só para te convidar vem a igreja, já não chega a hora. Não. Você ainda não é um vaso quebrado. É preciso ser um vaso quebrado.
Gálatas 2:20 diz: não sou eu que vivo, mas Cristo que vive dentro de mim. 
 
Quarta condição para actuar naquele nível da música ungida. Tem de ser uma pessoa amante da Palavra de Deus. 
Nós estamos num mundo de evolução, de conhecimento… Em 1989, nós só tínhamos uma Bíblia. Talvez como o novo testamento que você coloca no bolso.
 
Hoje em dia, estamos no mundo da tecnologia. Só num telefone você pode ter 50 versões da Bíblia. As pessoas não estão lendo a Bíblia. O adorador deve ser uma pessoa que lê a Palavra, que entenda a Palavra, para apresentar os hinos segundo a são doutrina. Há pessoas que são muito exigentes com a suas orelhas. Você pode ter uma boa melodia, mas se não tens fundamento bíblico, coloca-te de lado.
 
Não quero me referir aqui há algumas canções que já coloquei de lado, disse não. Isso não existe. Eu nunca posso ter o coração do Jó, porque o coração do Jó é para ele. Deus não é chinês, não nos criou todos com a mesma natureza. 
  
A quinta condição, é ser uma pessoa ligada ao Espírito Santo. Estamos no tempo do Espírito, estivemos no tempo do pai, o pai enviou o seu filho e o filho disse vantajoso é eu subir e enviarei o Espírito. Colabore com o Espírito. 
 
Muita gente fala do sucesso da igreja primitiva, o grande segredo está em actos 9:31. A Bíblia diz que a Igreja crescia com a colaboração, com a assistência do Espírito Santo.
 
A junção do espírito satânico com o espírito do homem, gera a música satânica. A música de hoje, dizemos que é música satânica. O espírito dos homens se juntou com o espírito do diabo.
 
Quando há uma ligação entre o nosso espírito, uma colaboração com o Espírito Santo, vai gerar a música genuína, a música pura, a música ungida que o mundo está a precisar, que a igreja está a precisar.” 

Comentários

comentários

Gil Lucamba

Jornalista, Gestor de Mídias Sociais. Fundador do portal de notícias Arautos da Fé.

Mais Artigos - Website

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios