Ilda Valério – um reflector de luz de Cristo

“É uma figura que pela sua modéstia se assemelha ao grão de mostarda que cresce e se transforma numa árvore frondosa onde vêm poisar as aves do céu ou como uma lâmpada que ainda que muito pequenina varre a escuridão e enche até ao tecto uma casa de luz”. Escreveu o Dr Onofre dos Santos, na obra O Farol de Esperança.

Ilda Valerio

Esperança Ilda Chipunda Valério, que no registo, segundo o seu pai passou a ser simplesmente Ilda Valério, é a primeira filha do casal Valério Kachimbamba e Manália Nganja, nasceu no dia 08 de Julho de 1946 na Embala Sicato, região muito afamada, por ser a área onde saiam os sobas para a Embala Andulo, Município com o mesmo nome, na província central do Bié.
Iniciou os estudos quando ainda tinha seis anos de idade,na aldeia de Niquila. Passou pelo Centro Evangélico de Chipeio e pelas missões de Chilesso (Bié), Dondi, Escola Means (Huambo) e iniciou a sua vida laboral muito cedo, fruto do seu sucesso escolar e dum programa que as missões levavam a cabo na altura. No fim de cada ano lectivo, os alunos eram enviados para as aldeias, para ensinar os jovens e adultos a ler e a escrever e outras matérias para a vida cristã e desenvolvimento. Neste programa, Ilda trabalhou no Centro Evangélico de Honyoha, no Município de Cunhinga dois meses – Julho e Agosto do ano 1963. Trabalhou no Centro Evangélico de Etumbuluko, Município de Andulo, comuna de Cassumbi dois meses – Julho e Agosto de 1964.

No final da formação da Escola Técnica no Dondi – Instituto currie, a Missão colocou-a na Escola do II nível como professora. Mas antes disso, como preparação para a carreira de professora foi enviada, com outros colegas, para Silva Porto (Kuito-Bié), onde fez o curso intensivo do Magistério Primário.

Entrou para o Seminário, por influência do seu esposo, (na altura pretendente), Estevão Cassinda (hoje pastor na Igreja Evangélica Congregacional em Angola-IECA), que foi proposto para estudar Teologia no Seminário Emanuel do Dondi e achou que antes devia arranjar uma noiva. Foi nesta altura que foi ter com o Mestre Valério, pai de Ilda Valério, por sinal seu tio e acertaram que ela seria a noiva.

Assim a Igreja de Chilesso pela sua direcção conversou com a jovem Ilda acerca do ingresso ao Seminário Emanuel Unido, pois viram que ela tinha habilitações requeridas aos alunos. Entretanto, em vez de ir como esposa, foi recomendada como aluna do 1˚ Ano do Curso de Educação Cristã, para três anos, pois o Curso de Teologia eram quatro anos lectivos.

Assim Ilda e Estevão estudaram juntos durante três anos. Na sua turma do 1˚ Ano eram sete meninas incluindo três da Igreja Metodista Unida, vindas de Luanda. As do Conselho de Igrejas Evangélica de Angola Central – CIEAC, hoje Igreja Evangélica Congregacional em angola-IECA, eram quatro meninas.
No final de três anos lectivos de teologia e educação Cristã, antes das provas finais, a direcção e todo o colectivo de professores do seminário chamaram a Ilda, para lhe anunciar a decisão que havia tomado sobre ela, a de continuar as aulas de Teologia com os homens; apenas terminaria o Curso de educação Cristã. Quer dizer, iria receber o Diploma de Finalista, mas continuaria na Escola de Teologia. Foi realmente o aconteceu no mês de Junho de 1973. No final do ano lectivos de 1973 e 1974, graças a Deus também tinha concluído o 5˚ Ano do Liceu com muito sucesso, cujo exame final foi realizado no Liceu Nacional Norton de Matos, actual escola Mutu Ya Kevela.

No dia 09 de Junho de 1974 foi consagrada ao Santo Ministério, tornando-se assim na primeira mulher autóctone ordenada pastora na IECA. Uma ordenação que segundo conta no livro O Farol de Esperança, não pacifica.
De lá para cá a Reverenda Ilda Valério passou por várias Instituições, Igrejas e Pastorados, destacamos: Missão Evangélica de Chilesso; Seminário Emanuel Unido (Huambo); Pastorado da Canata (Lobito); Directora do Centro Ecuménico do Lobito afecto ao Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (CICA); Secretária Provincial da IECA em Benguela; Directora do Instituto Bíblico da IECA em Benguela; Formadora para o Desenvolvimento Comunitário, Democracia e Cidadania (Benguela). Actualmente exerce o seu ministério pastoral no pastorado (paroquia) de Cassoco (Benguela).

Os adjectivos Humilde, simpática, acolhedora, parecem não traduzir a grandeza desta mulher, que enfrentou e superou com fé, ao longo de mais de 40 anos da sua vida pastoral muitos desafios. Tal como testemunha a Reverenda Etta M. Snow, no livro O Farol de Esperança. “Durante os muitos anos que tenho conhecido a Reverenda Ilda Valério, posso dizer de forma inequívoca, como muitos outros têm testemunhado, que ao longo do seu Ministério de ensino, pregação e visita aos doentes em suas casas ou àqueles na prisão, em cursos de liderança ou na sua vida familiar, ela tem sido não só para mim, um reflector de luz de Cristo, como tem reflectido a luz sobre todos aqueles cujas vidas ela tocou.”

Comentários

comentários


Inscreva-se para receber as novidades por email

* campos obrigatórios